quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Você acredita?

Tu acreditas?

Um excelente filme para se ver depois de uns dias de férias....

No poder da Cruz está a nossa salvação.




sexta-feira, 14 de agosto de 2015

ATENÇÃO.... ATENÇÃO...
 

Mudança da data da Peregrinação a Fátima da
família FISFA e AMIGOS.
Marque já na sua agenda e venha peregrinar connosco...
Teremos momentos de Oração e de convívio.
Com a certeza da vossa presença.
 
 

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Perfeita Contradição





Na dor da peleja há luz,
No riso tem lágrima
No adeus da saudade a voz que promete
Que em breve vai regressar

Na fé que eu já sei de cór
Tem dor que eu não sei rezar
Há verbo que adjetiva
Sujeito em perfeito amar

Nos dias que o tempo leva
Memórias que vão chegar
No avesso que não se mostra
Segredos pra se levar

Nem toda reza é santa
Nem todo escuro é breu
Nem toda beleza encanta
Nem tudo que tenho é meu 
Nem todo amor nos ama
Nem todo ateu sem Deus
Nem tudo que não nos nega
Nem tudo que sou é meu


No céu do sertão tem mar
Na espera de renascer
No olhar sertanejo há sede de chuva
É crivo que clama ao céu

Na dor que eu já sei de cor
Na fé que não tem razão
Tem vértice no horizonte
Perfeita contradição

Nos dias que o tempo leva
Memórias que vão chegar
No avesso que não se mostra
Segredos pra se levar

Nem toda reza é santa
Nem todo escuro é breu
Nem toda beleza encanta
Nem tudo que tenho é meu 
Nem todo amor nos ama
Nem todo ateu sem Deus
Nem tudo que não nos nega
Nem tudo que sou é meu  (2x)

 Nem tudo que sou é meu
Nem tudo que sou é meu
Nem tudo que sou é meu
Nem tudo que sou é meu

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Dia de Santa Clara

Que a doce Santa Clara de Assis nos abençoe sempre e junto de S. Francisco de Assis e do Seu Amado Jesus interceda por cada um de nós........




domingo, 9 de agosto de 2015

 
 
Os milagres não se fazem notar...
 
Quando se faz um bem, importa cuidar das aparências, revelando apenas o essencial. O ideal atinge-se quando tudo parece fruto do acaso! O mal procura sempre criar grandezas pomposas em torno dos seus gestos. A vaidade é um sinal claro de um mal que pretende disfarçar-se.

O amor e a inteligência exigem delicadeza. Só através dela se atingem as profundidades. Não se trata de uma fragilidade, no sentido de fraqueza, antes de uma perfeição que procura apenas não se fazer ver aos olhos da multidão.

Mesmo quando são grandes os milagres passam despercebidos. Há gente que não sabe que é sagrado o chão que pisa, que não se dá conta de que o fundamento da sua existência não é o que parece…

A força bruta pode muito pouco. Os milagres parecem muitas vezes insignificâncias. Quem não viu já coisas pequenas revelarem-se enormes e coisas grandiosas sem qualquer valor?

Não se trata de um disfarce, uma fraude ou um engano. Mas apenas o bem cuidando de não se manifestar de forma evidente como seu autor. Recolhendo-se, sem se ocultar.

Importa aprender a olhar. Distinguir os aspetos subtis e delicados de cada coisa, reconhecer as relações, as diferenças e as harmonias.

É preciso que o coração aprenda a estar atento.

Os milagres não são tão raros quanto se julga. As árvores crescem e as flores brotam todos os dias, sempre sem qualquer alvoroço. É a beleza pura, apenas.

Todos os dias, há gente a nascer e gente a morrer... enquanto tantos outros julgam que no mundo continua tudo igual... a criação é uma constante do tempo.

O que começa por ser uma mera suspeita, pode revelar-se, quando se é capaz de ver até ao fundo, um milagre. Uma espécie de enigma que se aprende a desvendar e, depois, a admirar.

Não há fortunas nem destinos, o bem está no coração e nas mãos dos que sabem sonhar, viver e amar. Longe das aparências enganadoras e vaidosas. A liberdade humana tem os olhos bem abertos e não tem asas nem rodas nos pés. Apenas a sua vontade de criar, de dar ao mundo um mundo melhor. A capacidade de criar por pura bondade. O bem quer construir mundos novos e bons enquanto o mal teima em desfazer tudo a partir da destruição de cada coisa.

Fazer acontecer um milagre é possível a qualquer um de nós. Alimentar um faminto, acolher com um olhar aquele que é invisível aos outros, sorrir quando se chora, dar a mão a quem sofre... acolher no íntimo dos nossos silêncios aqueles que mais precisam do nosso amor.

Nada acontece ao acaso. Não há fado nem sorte. Essas coisas só fazem sentido às inteligências que desistiram de compreender, tornando o seu inimigo mais forte, ao entregar-lhe as armas que deveriam servir para o combater. Mais: para, em seguida, lhe pedir benevolência e perdão pelo bem e pelo mal que não se fez...

Frágil é quem não sabe o que quer.

É mesmo possível conduzir o próprio destino, levando-o pela mão.

A sabedoria conhece e usa a dose certa em cada gesto. A perfeição é sempre simples, mínima e subtil. Ainda assim, apesar de toda a sua divina delicadeza, há milagres que se repetem até alcançarem o seu propósito!
                                                                                                           José Luís Nunes Martins